Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Os segredos de Pacheco

Estadão informa que Minas Gerais virou destino preferencial do orçamento secreto, após eleição do democrata para a Presidência do Senado
Os segredos de Pacheco
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Minas Gerais saltou de quinto lugar, em 2020, para o principal destino de emendas do orçamento secreto neste ano. A virada coincide com a eleição de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para a presidência do Senado, em fevereiro.

Segundo o Estadão, prefeituras e o governo do Estado lideraram tanto indicações de repasses feitos pelo relator-geral do Orçamento quanto pagamentos executados pelo governo federal.

No comando do Congresso, Pacheco trabalha por uma possível candidatura à sucessão do presidente Jair Bolsonaro, em 2022. Está prestes a mudar de partido, do DEM para o PSD, e procura ocupar o vácuo na política de Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país.

 

Conforme planilhas elaboradas pelo relator do Orçamento – obtidas pelo Estadão por meio da LAI –, Minas deve receber R$ 662,1 milhões, montante superior à quantia indicada para São Paulo (R$ 513,6 milhões) e Bahia (R$ 363,1 milhões).

“As verbas apontadas pelo relator-geral do Orçamento de 2021, senador Márcio Bittar (MDB-AC), até junho estão reservadas nos caixas dos ministérios do Desenvolvimento Regional, da Agricultura, da Saúde e da Cidadania. As planilhas enviadas ao governo, no entanto, omitem os nomes dos parlamentares por trás das indicações.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO