"Os tempos são de estranhamento, de tristeza e de dor", diz diretor

“Os tempos são de estranhamento, de tristeza e de dor”, diz diretor
Foto: Reprodução/Anvisa

Ao finalizar o voto que formou maioria pela aprovação das vacinas, o diretor Alex Campos deu um depoimento pessoal. Falou em “dias duros”, marcados por dilemas pessoais.

“Amigos e familiares ficaram adoecidos, amigos ou parentes partiram, encontros foram adiados. os tempos são de estranhamento de tristeza e de dor. Testemunhamos as cenas que chocaram o Brasil nos últimos dias.”

Dias narrou reuniões ocorridas até na véspera de Natal e frisou que o sentido de urgência guiou todos os trabalhos.

“Sobreveio a tensão pela decisão correta, as reflexões solitárias, o socorro ao manuais técnicos, as leituras noturnas, a literatura, o aconselhamento, as reuniões quase que permanentes da diretoria. Dilemas, incerteza, dúvidas que só foram resolvidas porque há consciência de que o esforço é coletivo e compartilhado e a só assim a solução pode ser provida.

Pró-vida.

Leia mais: Quem são os diretores da agência que darão o veredicto sobre as vacinas a serem aplicadas nos brasileiros
Mais notícias
TOPO