ACESSE

Outros três senadores usaram cotão para voar de jatinho na pandemia

Telegram

O senador condenado Acir Gurgacz, do PDT de Rondônia, não é o único — veja aqui –que recorreu à cota parlamentar para abastecer aeronaves durante a pandemia da Covid-19.

De acordo com o Portal da Transparência do Senado, Carlos Viana, do PSD de Minas Gerais, usou recursos do chamado cotão — dinheiro público que pode ser usado pelos congressistas para quase tudo o que você imaginar — para abastecer quatro vezes, em março, um jatinho no aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, depois que a pandemia já estava em curso no Brasil. No total, foram gastos R$ 2.699,81 com os abastecimentos, devidamente ressarcidos pelo Senado.

“O uso da cota para viagem dentro do estado por motivo de trabalho está dentro das regras. E, mesmo na pandemia, sigo trabalhando e visitando cidades de Minas Gerais, principalmente as que mais precisam de ajuda na área da Saúde. Desde o início do mandato, já foram quase 150 cidades visitadas”, disse o senador mineiro em nota enviada a O Antagonista.

Além de Carlos Viana, o senador Marcelo Castro, do MDB do Piauí, usou R$ 3.804,60 do cotão para encher o tanque de uma aeronave no pátio do aeroporto de Teresina, em 11 de abril.

Já o senador Marcos Rogério foi o segundo que mais gastou com essa finalidade durante a pandemia — ficando atrás apenas do seu colega de estado Acir Gurgacz — o Senado ressarciu gastos totais de R$ 15.340,50 para que o parlamentar do DEM de Rondônia abastecesse aeronave particular no município de Ji-Paraná, o segundo mais populoso do estado.

Todas as notas fiscais estão no sistema do Senado e são públicas.

Leia também: Bom jornalismo: sua vacina contra fake news. Imunize-se

Comentários

  • Nat -

    Se tivesse afim de ajudar, apoiaria projeto de lei que permita abrir mão desses valores para sobrar recurso pra compra do que é essencial (comida por ex.). Ele vai é pra campanha com dinheiro público.

  • Paulo -

    PDT? Sempre contra o Brasil

  • Fátima -

    Em plena pandemia! Verdadeiros canalhas. Sem um pingo de vergonha na cara.

Ler 24 comentários