Pacheco acha inviável CPI da Covid no sistema remoto

Pacheco acha inviável CPI da Covid no sistema remoto
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Rodrigo Pacheco, mineiro que é, não diz aos senadores nem que vai instalar, nem que não vai instalar a CPI da Covid.

Continua afirmando que, se houver fato determinado e condições políticas de instalar a comissão, o fará. Em tese, o requerimento da CPI, protocolado há exatamente um mês, está em análise na consultoria jurídica do Senado.

Pacheco, porém, defende que “não é hora” para instalar CPI e que o Senado precisa se concentrar em garantir vacinas e auxílio emergencial, mas a pressão sobre ele tem aumentado, como mostramos há pouco.

Outro ponto levantado pelo presidente do Senado é saber que fatos exatamente a CPI quer apurar. No pedido original, de Randolfe Rodrigues (Rede), a ideia era investigar os acontecimentos de Manaus, que estão se repetindo agora no Brasil inteiro.

Nesta semana, como noticiamos, senadores do Podemos começaram a colher assinaturas para a proposta de criação de uma CPI mais ampla, que investigasse também o desvio de recursos destinados para estados e municípios na pandemia.

Além de todas as questões políticas — Pacheco foi eleito presidente do Senado com o apoio de Jair Bolsonaro –, o senador de Minas Gerais também passou a dizer que não considera viável o funcionamento de uma CPI no sistema remoto. Diante do agravamento da pandemia, o Senado deve, nos próximos dias, voltar a funcionar essencialmente no plenário virtual.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que tem coragem de fiscalizar TODOS os poderes
Mais notícias
TOPO