Pactos argentinos

Na Argentina, todas as pesquisas apontam vitória de Mauricio Macri, candidato de oposição que ficara atrás de Daniel Scioli no primeiro turno. Dependendo do instituto, a derrota do kirchnerismo poderá ocorrer por uma margem de 3% a 15%.

Para tentar se salvar, Scioli, a exemplo de Dilma, andou fazendo o diabo no segundo turno. Segundo o Estadão, no discurso de encerramento, o candidato do governo tentou demonizar o rival: “São muito sérios esses pactos com os diabos do candidato Macri”.

Se Scioli perder, a Argentina irá se livrar de um pacto com o atraso.