PADILHA OPEROU REPASSE DE ANGORÁ

No depoimento ao TSE, revelado por O Antagonista na semana passada, o ex-executivo da Odebrecht José Carvalho relatou o repasse de R$ 4 milhões ao PMDB – como já se sabe, uma das entregas foi feita no escritório de José Yunes por orientação de Eliseu Padilha.

Carvalho faz referências aos mesmos valores que constam da planilha do sistema Drousys em que o beneficiário é “Angorá”. Ao TSE, o executivo diz que quem negociou os repasses foi Claudio Melo Filho e que não tinha domínio da planilha.

Em sua delação, publicada por O Antagonista no ano passado, Claudio Melo Filho disse acreditar que havia uma “interação orquestrada entre ele e Eliseu Padilha para captação de recursos para o seu grupo do PMDB”.

“Moreira Franco me solicitou um apoio de contribuição financeira, mas transferiu a responsabilidade pelo recebimento do apoio financeiro para Eliseu Padilha.”

Faça o primeiro comentário