ACESSE

‘Padre pop’ de Goiás gerenciava mais de R$ 20 milhões por mês, segundo MP

Telegram

Segundo o Ministério Público de Goiás, a Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), comandada desde 2004 pelo padre Robson de Oliveira, arrecada por mês cerca de R$ 20 milhões em doações.

A investigação do MP, como publicamos, apura se parte do valor foi usado de forma irregular em benefício de determinadas pessoas ligadas à associação. O padre e outros investigados teriam usado recursos da Afipe para a compra de imóveis luxuosos, fazendas e gado.

Após o Ministério Público deflagrar a “Operação Vendilhões”, que investiga supostos crimes de apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos, sonegação fiscal e associação criminosa, o ‘padre pop’ de Goiás pediu afastamento de suas funções do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno e da Afipe.

Leia mais: A 'Crusoé' investigou a relação entre o advogado de Jair Bolsonaro e a JBS por meses. E encontrou as digitais do presidente e do procurador-geral da República

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 46 comentários