Paes afaga Bolsonaro ao criticar Wilson Witzel

No debate da Band, o primeiro entre candidatos ao governo do Rio de Janeiro no segundo turno, Eduardo Paes e Wilson Witzel divergiram sobre propostas de segurança, registra O Globo.

Ao ironizar a defesa feita por Witzel do abate de criminosos encontrados com fuzil, mesmo fora de circunstâncias de combate, Paes afagou Jair Bolsonaro, aliado do adversário, evitando se desgastar com o eleitorado que deu ao presidenciável 59,8% dos votos válidos no estado.

“Uma coisa é falar, outra é fazer. A situação do Rio é ainda mais grave que a do Espírito Santo. Não vou usar a expressão [‘frouxo’] que o candidato Romário usou no primeiro turno. Bolsonaro tem credibilidade para falar isso, porque fala há muito tempo. O senhor, não. O conheceu ontem. Não adianta falar que vai usar baioneta ou bazuca para resolver”, afirmou Paes.

“Seu jeito de falar demonstra seu desequilíbrio. Quando eu disse que abateria quem estava de fuzil, fui proibido de entrar em várias comunidades. Eu não vou em comunidade pedir voto para bandido”, rebateu Witzel.

Você precisa redobrar a atenção no 2º turno. Entenda por que clicando AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Jair Bolsonaro quer a lei do abate de criminosos com armas de guerra portadas de forma provocativa, ostensiva. Tem cara que passa em caminhonetes, aos montes. Parece cena do filme Mad Max.

Ler mais 42 comentários
  1. Jair Bolsonaro quer a lei do abate de criminosos com armas de guerra portadas de forma provocativa, ostensiva. Tem cara que passa em caminhonetes, aos montes. Parece cena do filme Mad Max.

  2. Afagar Bolsonaro agora?agora já era… novamente seu ego … te derrotou nestas ultimas eleições…esqueceu o que o Prof.Targino… que nos deixou neste mês…te falou? esqueceu ne…

  3. Eu era contra matar bandido, agora sou a favor das propostas do Bolsonaro. A esquerda deu mto arrego pra esses vagabundos que fazem o que querem com o cidadão de bem. Até maria do cercário chamou a

  4. Bandido na posse de um fuzil deve ser abatido sem dó. Violência é combatida com mais violência. Quando um camarada transgredir uma lei, ele saberá que a mão da sociedade é pesada.

  5. Ouvi que Eduardo Paes foi a convite do prefeito de Nova York dar consultoria de como administrar a cidade , foi isso ? E que recebeu muito dinheiro . Tá , a gente finge que acredita . LAVA JATO nel

  6. O Paes, caros cariocas do bem, nunca passou de um aproveitador e de um impostor de quinta categoria. Os eleitores do Rio, certamente, no próximo dia 28, colocarão as coisas nos seus devidos lugares.

  7. Paes mais uma vez foi canalha se aproveitando de um insulto gratuito que o Romário endereçou ao Dr. Witzel. Ocorre que o Romário é um oligóide sem-noção e fala qualquer m&rd@ é senador e tem i

  8. A violência do Rio diz respeito a todos os brasileiros. Pelo País, o ideal seria que quem tem conhecimentos sobre o assunto, ofereça ajuda para transformar esse caos que impera lá. Oh! Briga egois

  9. Paespalho está desesperado. Era visível isso no debate. Ele assim como os petralhas, é capaz de qualquer golpe baixo. É bom a campanha do Witzel ficar atento. Witzel ganha com mais de 60%.

  10. Paes não é aquele que relativizou o caso do sítio de Atibaia em conversa com Lula, fez chacota que era pouco e comparou a Maricá-RJ a qual chamou de “merda de lugar”? FORA EDUARDO PAES.

  11. Eu vi o debate. Estou estupefato com o preparo, curriculo, tecnica de oratoria do Witzel. É ESMAGADORA a diferença para o paespalho. Parece um adulto coversando com um moleque de rua.

    1. Bolsonaro sempre fala que quem tem que ir para o cemitério é bandido e não gente de bem! Essa é a proposta dele; bandido desarmado! senão, vai para a caixinha. Fez promoção da campanha do Bolso