Pagamentos até 2016

A procurador Athayde Ribeiro Costa diz que Sérgio Cabral continuou recebendo propina mesmo após a deflagração da Lava Jato. “Há pagamentos em 2015 e até em 2016.”

Cabral não tinha medo.