Pague sua tornozeleira

Mais cedo, registramos aqui que as tornozeleiras eletrônicas estão em falta também em São Paulo.

Um projeto de lei apresentado no mês passado no Senado propõe que o próprio condenado pague pelo monitoramento eletrônico — as tornozeleiras custam aos cofres públicos, por cada preso, R$ 300 por mês.

“A sociedade brasileira não pode e não deve arcar com esse custo”, defende o autor do projeto, Paulo Bauer.

A proposta aguarda relator na CCJ.

Faça o primeiro comentário