Palocci: a divergência entre Marcelo e Emílio sobre os 300 milhões de propina

Antonio Palocci, no depoimento a Sérgio Moro, sobre a conversa entre Emílio Odebrecht e Lula, sobre o “pacto de sangue”,  no final de 2010:

“Quem me contou essa conversa foi o presidente Lula, na manhã seguinte. E o Marcelo Odebrecht confirmou que havia pedido para o pai dele falar (com Lula). Só teve divergência de valores. ‘Não é 300 milhões, meu pai se enganou. Trezentos é a soma daquilo que foi dado com aquilo que tem disponível. E o pai do Marcelo, seu Emílio, disse ao presidente Lula que os 300 milhões é o que estava disponível naquele momento.”

O que foi dado antes: 150 milhões de reais.

O que estava disponível: 150 milhões de reais.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

  1. Ler mais 1 comentários