Palocci interrogado por Sergio Moro: não tem preço

Antônio Palocci está na lista de investigados graças à delação premiada de Paulo Roberto Costa. O ex-diretor da Petrobras disse que intermediou uma propina de 2 milhões de reais para o ex-ministro da Fazenda de Lula. O dinheiro foi para a campanha presidencial de Dilma Rousseff, em 2010, de quem Antônio Palocci viria a ser ministro-chefe da Casa Civil.

Não tem preço ver Antônio Palocci, darling de banqueiro e algoz de caseiro, sendo interrogado pelo juiz Sergio Moro. Vale muito mais do que 2 milhões de reais. Inclusive porque o mar de lama palocciano pode vir a tragar Dilma Rousseff, quem sabe até já na Presidência, em crime de improbidade administrativa

Faça o primeiro comentário