Para deputados, Meirelles joga contra reforma

Deputados da base aliada não gostaram da entrevista de Henrique Meirelles à Folha em que o ministro da Fazenda se apresentou como possível candidato de Michel Temer em 2018.

Ouvidos pelo BuzzFeed News, quatro deles disseram que Meirelles escolheu o pior momento para se colocar como candidato e perdeu a legitimidade para negociar a reforma da Previdência.

Sob anonimato, os deputados disseram ainda que não vão fazer o sacrifício de aprovar a reforma para que Meirelles se beneficie na eventual candidatura ao Planalto.

O Antagonista ouviu de um parlamentar, que se referia ironicamente a Meirelles após saber do tom da entrevista do ministro: “É um gênio”.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Política e um negócio pra craque. Considero Temer um craque dentro do jeito brasileiro de fazer política. Quase não erra nas palavras. Imbatível como politico. Mas, acho que o próprio Temer vai acertar isso..

Ler mais 12 comentários
  1. Política e um negócio pra craque. Considero Temer um craque dentro do jeito brasileiro de fazer política. Quase não erra nas palavras. Imbatível como politico. Mas, acho que o próprio Temer vai acertar isso..

  2. A reforma da previdencia urge, o lançamento espascial da candidatura do ministro será igual ao foguete do Kim Jon, vai descer em algun oceano em alguma data, easy Meirelles.

  3. A VAIDADE chega a um ponto que o homem torna-se um IDIOTA.
    No caso deste IDIOTA que foi presidente do conselho da JBS, as pretensões do mesmo visa obter um FORO ESPECIALÍSSIMO, pois ele sabe que vai ser alcançado pela LAVAJATO.
    O IDIOTA pode por em risco toda recuperação econômica.
    Ele pensa que é o FHC , ministro da Fazenda do ITAMAR, não é.

  4. Um dos argumentos a favor da proposta de reforma da Previdência do governo é que se passará a dar tratamento igualitário a servidores públicos e a servidores do setor privado. Não é bem assim.
    .
    De acordo com a proposta de reforma, os funcionários públicos federais admitidos entre 31/12/2003 e 3/2/2013 terão sua aposentadoria calculada por regras semelhantes às do setor privado, mas não estarão sujeitos ao teto de benefício do RGPS, cujo valor hoje é de R$ 5.531,31.
    .
    O teto só se aplicará aos que ingressaram no serviço público a partir de 4 de fevereiro de 2013, mas mesmo estes contam com a possibilidade de aumentar sua aposentadoria mediante a filiação à Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (Funpresp).

    1. O fato é que os servidores públicos gozam de privilégios bancados pela sociedade, solapando recursos que poderiam ser aplicados para atender às necessidades da população, como saneamento básico, educação fundamental, saúde e mobilidade urbana. Além da aposentadoria com vencimentos integrais, seus salários são muito mais elevados que os do setor privado.
      .
      O único ponto da reforma que dará tratamento paritário aos dois regimes é a idade mínima. Mas nem isso os servidores públicos estão dispostos a aceitar. Depois de conseguirem tratamento especial para professores e policiais, agora atuam pesado para estabelecer idades mínimas menores para os admitidos antes de 2003 ou para continuarem a não ter qualquer idade mínima, para os admitidos antes de 1998.
      Afinal, o que mais querem os servidores?

  5. E mais uima vez, o Sr Meirelles manda reajustar o gás de cozinha para dar mais dinheiro aos seus amigos banqueiros. Assim é fácil ajustar as contas públicas: maior queda no preço dos alimentos em 40 anos (Mérito da natureza) , a maior alta dos derivados de petróleo (Mérito do Sr Juros-JBS-Bank Boston)

  6. MINISTÉRIO DA FAZENDA + MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO => R$ 40 BILHÕES POR ANO! SÓ PRA PAGAMENTO DE SALÁRIOS DOS NABABOS DO FUNCIONALISMO PÚBLICO! disse:

    O sonho dessa equipo do Meirelles é enfiar uma alíquota de IR de 35% e triplicar todos os impostos existentes no Brasil! Só idiota acredita nessa gente! Pode pegar a equipe dele, são todos funcionários públicos, tudo marajá do funcionalismo. Quem não é concursado, é comissionado e mama uma fortuna por mês!
    Alguém poderia me explicar como o Ministério da Fazenda e o Ministério do Planejamento(Dyogo Oliveira) mamam juntos quase R$ 40 BILHÕES POR ANO do Orçamento Público?
    R$ 40 BILHÕES pra quê? Só pra pagamento de BARNABÉS dos dois Ministérios!