ACESSE

Para Jungmann, Forças Armadas "estão com a Constituição", e não com Bolsonaro

Telegram

O ex-ministro da Defesa Raul Jungmann afirmou que as Forças Armadas não têm lealdade absoluta a Jair Bolsonaro, mas à Constituição.

Jungmann comentava a manifestação do general Augusto Heleno, ministro do GSI, que falou em “consequências imprevisíveis” para o país caso Bolsonaro fosse obrigado a entregar o seu telefone celular para ser periciado.

“Isso gera muitas dúvidas. Quando um general da reserva como Augusto Heleno faz aquele manifesto para a nação, com termos impróprios, inadequados, as pessoas fazem o raciocínio: ‘os militares estão apoiando isso’. Não estão”, disse Jungmann em entrevista ao UOL.

“Quando o presidente da República diz ‘as forças Armadas estão comigo’, as Forças Armadas não estão com ele, estão com a Constituição.”

Jungmann também defendeu que os comandantes das Forças Armadas permaneçam em silêncio.

“Se eles se pronunciassem, estaríamos criando um precedente. Amanhã poderemos ter outros presidentes e conviver com outras crises. Poderia gerar uma perspectiva de tutelar da Forças Armadas. E um aspecto fundamental de uma democracia de fato é que não existe  tutela e muito menos capacidade de veto das Forças Armadas.”

Leia também: STF x Bolsonaro: o presidente ainda mais exposto a riscos

Comentários

  • Ricardo -

    Tadinho acredita no coelhinho da páscoa que nem apareceu este ano.

  • Inacio -

    Por que não entrevistam alguém com relevância ?

  • Elizabete -

    Ricardão, votei certo. Qual sua sugestão quando o judiciário não respeita a constituição?

Ler 44 comentários