Para onde?

Rui Falcão soltou uma nota na qual elenca quem, segundo ele, resistirá: “trabalhadores do campo e da cidade, intelectuais progressistas, juventude e mulheres”.

O ainda presidente do partido que deve ser extinto termina o texto dizendo: “Voltaremos”.

Para onde?

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 25 comentários
  1. Ele poderia usar o seu tempo, também, para falar sobre o processo de improbidade administrativa, que ainda está rolando, de quando Prefeito da cidade de Nova Iguaçu-RJ. E também, de à época em que foi empossado, ter trazido da Paraíba, seus familiares e os ter alocado na folha de pagamento da mesma prefeitura.

  2. Esse senador de meia pataca afirma não ter materialidade para a denúncia, vamos mandá-lo para as filas do seguro desemprego, dos hospitais públicos, dos postos de saúde, que não oferecem o básico, como vacinas , os acometidos por câncer retornando sem quimioterapia por falta de medicação, ele encontrará nesses locais as consequências dos atos insanos da presidentA e aí a materialidade.

  3. Ela fala da “elite desse país”. Certamente a família Odebrega não é elite, todas as outras empreiteiras, os donos da jbs, enfim, eles eram miseráveis e viraram elite pelas mãos do pt.

  4. .Ella ficará: –Avenidas e estradas bloqueadas. Brasil em greve geral contra o impeachment: http://noticias.uol.com.br/album/2016/05/10/decisao-sobre-abertura.htm?abrefoto=10

  5. Lindberg não está preocupado com a saída de Dilma e, sim, com as benesses que o petismo lhe proporcionou durante esses 13 anos no poder. Com a saída do PT, há se que fazer uma auditoria completa na PREVI, afastar o atual presidente e diretores, e limpar exemplarmente essa instituição. Afastar todos aqueles ligados ao PT que se locupletaram dessa honrada Caixa de Previdência. A maior da America Latina e proprietária dos laboriosos funcionários do Banco do Brasil.

  6. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ofereceu denúncia ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o marido dela, o ex-ministro do Planejamento e das Comunicações, Paulo Bernardo. A denúncia é com base em um dos processos da Operação Lava Jato. Gleisi e Paulo Bernardo são conhecidos em Mato Grosso do Sul, por terem ocupado cargos de secretário no governo de Zeca do PT. Na mesma denúncia, Janot incluiu o nome do empresário Ernesto Kugler.