Para partido de Crivella, erro de Witzel foi trair Bolsonaro

Para partido de Crivella, erro de Witzel foi trair Bolsonaro

Os deputados estaduais do Republicanos, partido de Crivella, não citaram a Iabas, a Unir Saúde ou mesmo a relação de Wilson Witzel com Mario Peixoto em seus discursos na votação sobre a abertura do processo de impeachment contra o governador afastado do Rio.

Para eles, o erro de Witzel foi ter traído Jair Bolsonaro.

O Capitão Paulo Teixeira disse: “Eu sou um dos grandes culpados. Venho a público pedir perdão aos meus eleitores e àqueles que me seguem pelas redes sociais, porque eu consegui influenciar muita gente e pedir para que votassem no juiz Wilson Witzel, acreditando que ele levantava a bandeira da moralidade e ética, como foi defendida por Jair Messias Bolsonaro”.

Já o correligionário Dr. Serginho disse que a “política até aceita a traição, mas jamais aceitará o traidor”.

Leia mais: Diogo Mainardi: o interesse de Bolsonaro, Gilmar e Toffoli por nós
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 25 comentários
TOPO