"Paranoia e sociopatia"

“Paranoia e sociopatia”
Foto: Marcos Corrêa/PR

O vírus agravou os “problemas preexistentes” do Brasil, como o da “degradação da autoridade pública”, diz William Waack.

“Para isto foi fundamental a contribuição do atual presidente da República e seus traços característicos de personalidade (desequilíbrio emocional, traços de paranoia e de sociopatia). A ‘figura institucional’ de Bolsonaro nunca entendeu a verdadeira natureza do poder do chefe do Executivo brasileiro, que não reside na caneta, mas, sim, na capacidade de ditar a agenda política.” 

Leia mais: O furo de reportagem de O Antagonista sobre a mansão comprada por Flávio Bolsonaro em Brasília é dissecado na edição desta semana da Crusoé
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO