"Parece estar se tornando praxe no país a censura à imprensa", diz ABI

Em nota, a Associação Brasileira de Imprensa repudiou a decisão da juíza Cristina Serra Feijó, da 33ª Vara Cível do Rio de Janeiro, que proibiu a Globo de divulgar qualquer documento da investigação sobre o esquema de rachadinha no antigo gabinete do parlamentar na Alerj.

“Parece estar se tornando praxe no país a censura à imprensa, tal como existia no tempo da ditadura militar e do AI-5”, afirma a ABI.

“É mais um atropelo à liberdade de expressão. É urgente que o STF restabeleça o império de lei.”

E completou:

“A propósito, sabe-se que os recursos da chamada ‘rachadinha’ alimentaram vultosos depósitos na conta da primeira-dama. Por isso, cabe mais uma vez a pergunta, ainda não respondida pelo presidente da República: Afinal, por que Fabrício Queiroz depositou R$ 89 mil na conta bancária de Michelle Bolsonaro?”

Como publicamos, Flávio comemorou a liminar da juíza e disse que a imprensa inventa “narrativas” para desgastá-lo.

O bolsonarismo nutre tanto apreço pela liberdade de imprensa quanto o petismo. A Crusoé continua censurada judicialmente a pedido da deputada Bia Kicis, que não gostou da reportagem que informa que ela perdeu o ímpeto de defender a prisão de condenados em segunda instância.

Leia mais: EXCLUSIVO: SAQUES DE QUEIROZ, DEPÓSITOS PARA FLÁVIO BOLSONARO
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO