Pazuello: alerta do SUS sobre colapso em Manaus não indicou falta de oxigênio

Pazuello: alerta do SUS sobre colapso em Manaus não indicou falta de oxigênio
Foto: Caio de Biasi/Especial para o MS

Na exposição aos senadores sobre o colapso na rede hospitalar de Manaus, no início de janeiro, Eduardo Pazuello disse que um relatório do SUS, do dia 8, que apontava “problema na rede de gás do município, que prejudica a pressurização de oxigênio nos hospitais” não significava falta de oxigênio.

“Senhores, os fatos relatados puros e secos indicam deficiência na gestão dos hospitais por colapso e dificuldades técnicas em redes de gases. Em momento algum fala sobre falta de oxigênio, colapso de oxigênio ou previsão de falta de oxigênio”, afirmou.

“Rede de gases são os tubos, e não o oxigênio que vai dentro. Pressurização entre o município e o estado é regulação entre um e outro. Nem uma palavra sobre o assunto”, completou depois.

Ele disse depois que, no dia 10, a FAB transportou 200 cilindros de oxigênio de Belém para Manaus, após alerta da White Martins sobre dificuldades para distribuir o gás na rede hospitalar.

Depois, falou por duas vezes que “o Ministério da Saúde não tem qualquer competência para fabricação, transporte e distribuição de oxigênio”.

“Não tem qualquer competência para gestão e ações de saúde nos estados e municípios. Mesmo assim, levei todo mundo para Manaus, meus secretários, independentemente da competência.”

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que tem coragem de fiscalizar TODOS os poderes
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO