Pazuello diz ter afastado servidor por aplicativo que indicava cloroquina até a bebês

Pazuello diz ter afastado servidor por aplicativo que indicava cloroquina até a bebês
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Eduardo Pazuello disse nesta quinta-feira, 11, que mandou abrir investigação e afastou um servidor por causa do aplicativo TrateCov, do Ministério da Saúde.

Lançado em Manaus, em plena crise devido à falta de oxigênio, o programa recomendava o uso de medicamentos sem eficácia contra a Covid-19, como a cloroquina, até para um bebê recém-nascido que tivesse dor de cabeça e náusea.

Durante sua audiência no Senado, o ministro da Saúde afirmou que o aplicativo tinha como função auxiliar no diagnóstico da Covid-19 e era usado apenas por profissionais de saúde, mas foi retirado do ar após as críticas.

“Tinha esse objetivo: auxiliar no diagnóstico. Observamos, essa plataforma era aberta. Quando fomos verificar, estava induzindo as ações de medicamentos. Mandamos tirar do ar imediatamente. Mandei abrir processo e o servidor foi afastado.”

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que tem coragem de fiscalizar TODOS os poderes
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO