PCC usava Uber para transportar armas e drogas, diz Ministério Público

O Ministério Público de São Paulo afirmou que membros do PCC falsificavam documentos para dois objetivos, segundo a Folha.

Um deles era para fazer cadastros na Uber com nomes fictício para “transportarem membros da organização criminosa, armas, drogas e outros produtos ilícitos, com menor vigilância das autoridades de trânsito e segurança pública; transitar os indivíduos foragidos livremente pelo território nacional”.

A facção também adulterava documentos de advogados para fazer visitas em presídios, despistando as autoridades.

As acusações foram feitas pelo MP no pedido à Justiça de SP, que autorizou uma operação contra três núcleos do PCC.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO