PDT aciona Supremo para permitir votação remota na Câmara

PDT aciona Supremo para permitir votação remota na Câmara
Foto: Reprodução/TV Câmara

O PDT pediu ao Supremo para suspender decisão da Mesa Diretora da Câmara que proibiu a votação remota na eleição que vai definir o novo presidente da Casa, no dia 1º.

A votação totalmente presencial favorece Arthur Lira (PP), o candidato de Jair Bolsonaro.

Na ação apresentada ao STF, o PDT diz que, além de colocar em risco a saúde de parlamentares, servidores e jornalistas, a votação presencial “impõe, por vias transversas, a abstenção”.

A decisão cabe à ministra Rosa Weber, vice-presidente do STF, que está no plantão.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
TOPO