PEC do Teto: a qualidade dos gastos

Por favor, leiam o que Thais Herédia, no G1, escreve sobre o porquê de o Congresso ter de aprovar a PEC 241:

“Basicamente ela corta pela raiz um mecanismo que vale há anos no Brasil, qual seja: o gasto público nunca cai, só cresce – previdência e benefícios são os maiores responsáveis por essa trajetória ilimitada e incontrolável.”

E mais:

“Especialmente nos últimos 20 anos, se a receita aumenta – via crescimento da economia ou da carga tributária, o gasto pode subir ainda mais. Não há um compromisso com a qualidade do gasto, e sim com a quantidade. Para fazer esta quantidade crescer sem limite, o Congresso Nacional superestima as receitas e vai embutindo mais despesas no orçamento. E quando a receita não vem? O governo faz o contingenciamento, ou corte.”