Pedido da UFRJ ao BNDES não previa sistema de combate a incêndio no Museu Nacional

Quando a reitoria da UFRJ pediu ao BNDES apoio financeiro para o Museu Nacional, em 2015, não previu a implantação efetiva de um sistema de combate a incêndio, apenas a elaboração dos projetos.

Segundo relatório interno obtido por O Antagonista, foi o comitê de patrimônio cultural do banco que identificou a falha e condicionou a liberação dos recursos à apresentação de um plano específico para evitar uma tragédia como a de ontem.

O  pedido original contemplava: a) reforma do prédio da biblioteca, b) restauração artístico-arquitetônica do Palácio-sede – salas históricas; c) restauração do telhado do Torreão Sul; e d) elaboração dos projetos executivos de segurança contra incêndio e pânico.

Ou seja, o dinheiro seria apenas para a elaboração dos projetos.

A equipe técnica do BNDES considerou que os itens eram insuficientes para a resolução do problema e recomendou “o apoio a uma reestruturação mais abrangente do sistema elétrico, a transferência das coleções armazenadas em líquidos inflamáveis para fora do prédio histórico devido ao risco que representavam, além de prever recursos para a estruturação de um Fundo Patrimonial (endowment) em benefício do Museu Nacional, como forma de proporcionar recursos de longo prazo para sua manutenção”.

Recomendou-se também incluir como obrigação da UFRJ direcionar um orçamento anual de manutenção do Museu, após a conclusão das obras de restauro.

O licenciamento do Museu para a obtenção do dinheiro só foi obtido no segundo semestre de 2017. O empréstimo foi aprovado em dezembro e sua contratação efetiva – após a entrega da documentação exigida – foi realizada em 6 de junho de 2018.

A liberação estava prevista para depois do período eleitoral.

Comentários

  • REVOLTADO -

    A contratação do empréstimo com recursos para o Museu (após entrega dos documentos exigidos, o que é certo) se deu em 06 de junho, mas liberação só depois das eleições? Algo cheira mal nessa história!

  • Neurônio -

    Eu como ex-aluno do saudoso Colégio Pedro II e UFRJ (engenharia), acredito que o Paredão é o melhor para esses Bandidos. Como acontece em Cuba ou Coréia do Norte.

  • Daniel -

    Mais uma presepada da esquerda... Fora daqui seus incompetentes metidos a intelectuais, esquerdistas tem resposta pra tudo e solução pra nada!

Ler 67 comentários