Pedro Simon, eleitor de Marina: "É diabólico o que está acontecendo"

O ex-senador Pedro Simon, que se aposentou da vida parlamentar em 2015 após mais de 50 anos de experiência na política, conversou com O Antagonista sobre o apoio do Centrão a Geraldo Alckmin.

“Estamos vivendo o apogeu do ridículo. Estamos atingindo o máximo da loucura. Daqui a 3 meses [menos do que isso] teremos uma eleição e estamos vivendo uma tragédia atrás da outra.”

Na avaliação dele, “não tem um pingo de lógica” Alckmin rodear-se de denunciados e investigados pela Lava Jato.

“É diabólico o que está acontecendo”, disparou.

“O Alckmin falar em unificação e pacificação é uma maluquice. É como se ele estivesse dizendo: ‘Esquece a roubalheira, esquece tudo o que houve, tudo o que a Lava Jato revelou e vamos aqui nos unir'”, acrescentou.

Simon também reafirmou que votará em Marina Silva, mas ponderou que acredita em um segundo turno com Jair Bolsonaro e o próprio Alckmin.

Comentários

  • JL -

    Por causa desse acordo com o "Centrão", do qual faz parte, entre outros, o partido PP (Progressistas), o mais corrupto do Brasil, Geraldo Alckmin acaba sendo mais do mesmo e, portanto, não votarei nele.

  • Ernesto -

    Na época fiquei ofendido, mas hoje velo que Collor tinha razão quando chamou esse de PARLAPATÃO, ele é tudo isso mesmo, além de burro. Ficou 50 anos lá e nunca fez nada anão discursos verborrágicos sem nenhuma eficácia para o país. Realmente, como disse Collor, não passa de um "PARLAPATÃO".

  • Pablo -

    #GeraldoPresidente o Brasil vai voltar a crescer.

Ler 125 comentários