Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Perda do olfato pode estar ligada à permanência do vírus na cavidade nasal

Estudo publicado na Science indica que o coronavírus pode persistir em neurônios olfativos por vários meses
Perda do olfato pode estar ligada à permanência do vírus na cavidade nasal
Foto: fernandozhiminaicela/Pixabay

A perda do olfato, um dos principais sintomas da Covid, pode indicar a permanência do vírus na cavidade nasal, de acordo com uma pesquisa publicada na revista Science.

O estudo indica que o vírus pode persistir em neurônios olfativos por vários meses após a infecção, afetando a capacidade de funcionamento das células.

Os pesquisadores afirmam que a perda olfativa não decorre de uma simples obstrução, como de um resfriado comum, mas de um problema neurológico.

“Verificamos que na mucosa olfativa, que é a parte onde os neurônios ficam no nariz para receber os estímulos do cheiro, as células já tinham perdido todos os cílios, estruturas onde ficam os receptores do olfato. Então eles já não sentiam cheiro“, disse o cientista brasileiro Guilherme Dias de Melo, que participou da pesquisa.

Leia mais: Em pouco mais de um mês no STF, o ministro Kassio Marques se alinha à ala anti-Lava Jato.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO