Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Pessoas de 20 a 59 anos tendem a ser mais afetadas pela pandemia, diz Fiocruz

Um estudo divulgado hoje cita fatores como o avanço de novas variantes, o relaxamento das medidas restritivas e o ritmo de vacinação no país
Pessoas de 20 a 59 anos tendem a ser mais afetadas pela pandemia, diz Fiocruz
Foto: Agência Brasil

As pessoas de 20 a 59 anos tendem a ser mais afetadas a longo prazo pela pandemia . É o que diz um estudo da Fiocruz divulgado nesta sexta-feira (16).

A pesquisa cita fatores como a circulação de novas variantes da doença, o relaxamento das medidas restritivas e a vacinação no país, que acontece de forma escalonada, o que, na prática, faz com o que os mais novos sejam imunizados por último. Diante desse cenário, é possível perceber que, em 2021, os casos da doença em adultos entre 20 e 59 anos que evoluem gravemente e resultam em óbito têm sido regulares, segundo o estudo.

“Como o sistema de saúde já está sobrecarregado em muitas cidades, uma implicação imediata é o crescente tempo de internação por Covid. Esta faixa etária provavelmente será altamente afetada pela ocorrência de Covid longo ou síndromes pós-Covid.”

Os pesquisadores da Fiocruz defendem que é preciso focar mais na evolução da doença entre os jovens adultos nessa faixa etária.

“A mensagem é clara. Precisamos olhar para os jovens adultos, especialmente os mais vulneráveis, engajando-nos com eles com urgência. O calendário vacinal avança ainda timidamente entre os grupos de jovens, e as medidas de saúde pública não farmacológicas continuam a ser essenciais. Essa recomendação deve ser feita com responsabilidade, garantindo a proteção social necessária por parte do governo para que as pessoas possam ficar seguras em casa sem comprometer as condições mínimas de subsistência, agora e no futuro, dessa população.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO