Petrobras: a manchete de amanhã e depois de amanhã

Geraldo Samor, colunista do site da Veja, informa que amanhã o Conselho de Administração da Petrobras, ainda presidido por Guido Mantega, analisará o balanço do terceiro trimestre de 2014 da empresa, ainda não auditado. Samor antecipa que o balanço poderá registrar uma baixa contábil da ordem de 20 bilhões de dólares — 42% do valor de mercado atual da Petrobras.
Baixa contábil, explica o colunista, é “um reconhecimento por parte de uma empresa da desvalorização dos ativos que ela carrega em seu balanço, seja por superfaturamento em contratos, estouros legítimos em seus orçamentos de obras, ou outros fatores.”
A expectativa está nos “outros fatores”. A pergunta é se a empresa discriminará o quanto da baixa contábil está relacionado ao propinoduto do Petrolão.
Se a resposta for sim, sugerimos que a rubrica se chame baixaria contábil.

 
A baixa contábil da Petrobras