PF apreendeu 50 pastas no escritório de Zanin

A Polícia Federal apreendeu 50 pastas no escritório de Cristiano Zanin na Operação E$quema S, deflagrada no dia 9 para aprofundar as investigações sobre desvios da Fecomércio do Rio.

No pedido enviado a Gilmar Mendes para anular a busca, o advogado de Lula afirmou que o local foi “devassado ilegalmente” por ordem de Marcelo Bretas, uma vez que foram recolhidos documentos e materiais não ligados ao caso e protegidos por sigilo profissional.

A ordem do juiz mandava a PF recolher “documentos que digam respeitos aos fatos aqui apurados”, mas segundo Zanin, os agentes resolveram “bisbilhotar e confiscar” materiais que estavam numa sala ao lado da que ele utiliza no escritório.

Além dos papéis, a PF também apreendeu, segundo o advogado, gravações telefônicas de conversas que manteve com Lula interceptadas por ordem de Sergio Moro em 2016. O material foi invalidado pela Justiça, que determinou sua destruição, mas entregou cópia a Zanin.

O advogado de Lula quer usar as gravações no julgamento no STF que poderá declarar a suspeição de Sergio Moro e invalidar as condenações do ex-presidente na Lava Jato.

Leia mais: Foro privilegiado: o STF dividido de novo
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 91 comentários
TOPO