ACESSE

PF busca detalhes sobre a conta "pós-Itália"

Telegram

A Polícia Federal busca detalhes do funcionamento da conta “pós-Itália” para rastrear suposta propina paga a parlamentares em troca de gestão para a aquisição pela Previ (Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil) de uma torre comercial e de um shopping, que seriam construídos pela Odebrecht.

Segundo o delegado da PF Wedson Cajé Lopes, é preciso analisar o sistema da conta pós-Itália, codinome que seria do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, para identificar e rastrear como se deu a distribuição de cerca de R$ 27 milhões que teriam sido pagos aos deputados Carlos Zarattini, João Carlos Bacelar e ao ex-deputado Cândido Vacarezza.

Para o investigador, e-mails, extratos telefônicos, extratos de agenda entregues por Marcelo Odebrecht comprovam as tratativas, negociações e pagamentos efetuados aos parlamentares ora investigados, por meio da denominada conta “pós-Itália”, mas ainda é preciso achar o rastro do dinheiro. Os e-mails de Marcelo ainda fazem referência a Sérgio Eugênio de Risios Bath, ex-assessor de Mantega.

Análise feita pela área técnica da Previ apontou que o preço final constante da Promessa de Compra e Venda, lavrada no 3º Oficio de Justiça de Duque de Caxias, é de RS 817.325.092,89, mas o valor  efetivo do negócio apurado foi de R$ 787.361.000,00, uma diferença a mais de R$ 29 milhões – valor  próximo ao relatado pelos delatores.

Leia também: "A estupidez polarizada que assola o Brasil".

Comentários

  • Rosa -

    Assim eles assaltaram os cofres do país. Nem a Previ escapou. O que o político desonesto não conseguir corromper, ninguém mais consegue.

  • Artur -

    Melhor coisa no Brasil é ter partido político, por que roubem não pode ser dissolvido. Alguém poderia me explicar porquê.

  • Maria -

    Ótimo!

Ler 5 comentários