PF cobra de Lewandowski decisão sobre Aécio

O delegado Marlon Cajado, da PF, pediu que Ricardo Lewandowski avalie se um inquérito envolvendo Aécio Neves e relatado por ele vai ficar no STF ou descer à primeira instância, informa o G1.

O inquérito em questão apura suposto pagamento de vantagens indevidas pela Odebrecht, a pedido de Aécio, para campanhas dele e de Antonio Anastasia, Pimenta da Veiga e Dimas Toledo.

No ofício que enviou ao Supremo, Cajado pede prorrogação de prazo para analisar dados do Drousys e do My Web Day, os sistemas de propina da empreiteira.

Mas frisa que, diante do novo entendimento do STF sobre foro privilegiado, é preciso definir se o inquérito fica lá ou segue para outra instância. Lewandowski não tem prazo para decidir.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 10 comentários
    1. Pegou pesado, rapaz! Respeite o juiz líder da bancada petista no STF, portanto, líder da (grande) Maioria.

  1. Este STF é uma VERGONHA … São mais de 2.000 funcionários pagos com o nosso dinheiro que consome R$ 0,5 BILHÃO por ano … Não julga e tampouco condena nenhum político ladrão que desvia uma gigantesca fortuna de dinheiro público … E estes 11 Ministros são funcionários públicos muito bem remunerados que deveriam trabalhar a favor do povo e não a favor dos criminosos.

  2. Só no Brasil que um delegado, funcionário público pode intimar um membro do STF, investigar presidente da República, inventar investigação encima de um senador e ainda exigir autonomia. Na iniciativa privada duraria um dia no emprego.