Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

PF mira fraudes na compra de medicamentos de alto custo

Agentes foram às ruas para cumprir 8 mandados de busca em São Paulo e no Distrito Federal; ofensiva conta com o apoio da CGU
PF mira fraudes na compra de medicamentos de alto custo
Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal deflagrou hoje a Operação Rarus, que mira fraudes na compra de medicamentos de alto custo com dinheiro público para pessoas portadoras de doenças raras. Agentes foram às ruas para cumprir 8 mandados de busca em São Paulo e no Distrito Federal, expedidos pela 12ª Vara Federal Criminal de Brasília.

A ofensiva conta com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU). O órgão apura a existência de ações judiciais patrocinadas por uma indústria farmacêutica que se valia de uma associação de pacientes para induzir médicos a prescreverem os seus produtos.

As investigações apontam que os supostos crimes ocorreram entre 2015 e 2018. A PF investiga casos de pacientes que sequer possuíam indicação médica para o uso dos remédios. Além disso, também é apurado o envolvimento de agentes públicos, como servidores da Anvisa em atos de corrupção.

Após a operação, a Anvisa emitiu a seguinte nota:

“Esclarece-se que nenhum dos diretores atuais fazia parte da diretoria colegiada no período de 2015-2018 e que os atuais membros da Diretoria Colegiada da Anvisa não foram objeto da ação da Polícia Federal na sede da Anvisa, ou mesmo em suas casas, conforme veiculado na data de hoje pelos meios de comunicação. […] Esclarece-se ainda que a Anvisa não faz aquisição de nenhum medicamento e tão pouco direciona as aquisições públicas ou privadas.”

“Ressalta-se, por fim, que o caso não tem qualquer relação com os atuais dirigentes da Anvisa e nem houve, desde a deflagração da citada operação policial nesta data até o presente momento, qualquer diligência ou solicitação de informações à Anvisa pelo Departamento de Polícia Federal sobre a investigação em curso. A Anvisa se encontra à disposição para prestar quaisquer documentos e informações que sejam julgadas necessárias pela autoridade policial para o esclarecimento do caso.”

Leia aqui a íntegra. 

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....