ACESSE

PF investiga ida de chefe do tráfico para prisão domiciliar

Telegram

Um habeas corpus que tirou da cadeia Rafael de Lima Carvalho, chefe do tráfico de Unamar, em Cabo Frio, está na mira da Polícia Federal, diz a Crusoé.

O caso envolve o desembargador Siro Darlan, alvo da 2ª fase da Operação Plantão, realizada na última quinta-feira. Ele é suspeito de venda de sentenças judiciais no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Em 17 de março, o desembargador concedeu habeas corpus para que o traficante ficasse em prisão domiciliar, e sem tornozeleira, mesmo com o histórico do criminoso.

No dia da prisão de Rafael — também conhecido como Neurótico –, em novembro do ano passado, a polícia militar encontrou com ele um fuzil AK-47.

Em sua decisão, Darlan argumentou que a manutenção “do paciente segregado em cela superlotada, úmida, suja, sujeita a todas as mazelas e perniciosidades que este tipo de ambiente traz, fere princípios legais constitucionais e infraconstitucionais, conforme fundamentação exposta, impondo-se que se substitua a prisão preventiva do paciente pela prisão domiciliar”.

Leia também: O remédio para a pandemia?

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 101 comentários