PF ouve testemunhas do inquérito dos portos

A PF ouviu hoje no aeroporto de Congonhas duas testemunhas do inquérito dos portos, que investiga Michel Temer, relata o Valor.

Foi ouvido o advogado Adalberto Calil, que trabalhou no grupo Júlio Simões. A investigação apura se houve participação do grupo, dono da empresa JP Tecnolimp, em contrato de quase R$ 60 milhões com a Codesp, a estatal do porto de Santos, por 15 anos.

A PF suspeita que a JP Tecnolimp seja sócia oculta da Eliland, apontada pelos investigadores como firma de fachada usada por João Baptista Lima Filho, o coronel Lima, amigo de Temer e suspeito de ser operador financeiro do presidente.

Na delação de sócios da J&F, o coronel é acusado de ter intermediado propina de R$ 1 milhão para Temer –que nega as acusações.

O delegado Cleyber Malta Lopes, que conduz o inquérito, também ouviu hoje o advogado Gabriel de Carvalho Jacintho, suspeito de ter aberto a Eliland do Brasil a pedido da Argeplan, empresa do coronel Lima.

 

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler comentários
  1. Antonio disse:

    TGVpbyBlc3RhcyBub3TtY2lhcyBlIG1lIGThIHVtIHNvbm8sIGNvbWXnbyBhIGJvY2VqYXIuIFBvcnF1ZSBzZXLhPw==