PGR defende cassação integral da chapa de partido que lançar laranjas

PGR defende cassação integral da chapa de partido que lançar laranjas
Divulgação/MPF

Augusto Aras defendeu no Supremo a cassação de toda a chapa de um partido que tenha lançado candidatas laranjas numa eleição para o Legislativo.

Significa que, se o partido lançar candidatas mulheres apenas para cumprir a cota de 30%, sem apoiá-las efetivamente na campanha, todos os filiados que forem eleitos naquela disputa poderiam perder os mandatos.

O procurador-geral apresentou o parecer dentro de uma ação do PDT que busca limitar a punição apenas às pessoas envolvidas na fraude. O partido argumentou que, se todos os eleitos forem cassados, até mesmo as mulheres que ganharam sairão perdendo.

Mas para Aras, seria “algo circunstancial”, que pode ou não ocorrer a depender do caso; outros partidos que cumprirem a cota sem laranjas podem compensar, elegendo mais mulheres.

“Inaceitáveis o subfinanciamento dessas candidaturas e, com maior razão, as chamadas candidaturas laranjas. As candidaturas das mulheres hão de ser ‘para valer’, sob pena de a regra legal incorrer na mesma deficiência que procurou combater: a da igualdade apenas formal entre homens e mulheres”, afirmou.

Mais lidas
  1. Mensagens de WhatsApp revelam que militares bolsonaristas perderam a chance de comprar vacinas

  2. Huck 2026?

  3. "Mortos não consomem", diz Doria

  4. "Não faltam pacientes nas UTIs que tomaram cloroquina"

  5. Carluxo sem imunidade

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 18 comentários
TOPO