PGR defende desmembramento de inquérito Eduardo Paes e Pedro Paulo

Telegram

Em memorial enviado ao STF hoje, Raquel Dodge defende a tese de que a investigação contra Eduardo Paes e o deputado federal Pedro Paulo Carvalho Teixeira seja desmembrada entre as justiças Eleitoral e Federal.

O inquérito apura pagamento de R$ 15 milhões da Odebrecht ao ex-prefeito do Rio, em 2012. Pedro Paulo era o coordenador da campanha.

No documento, Dodge defende o posicionamento jurídico de que, havendo conexão entre crimes federais e crimes eleitorais, os primeiros devem ser julgados pela Justiça Federal, e os segundos, pela Justiça Eleitoral.

“Com isso, evita-se que a Constituição Federal seja afrontada e, ao mesmo tempo, prestigia-se a especialização da Justiça Eleitoral para cuidar de crimes estritamente eleitorais.”

Comentários

  • Annibal -

    Paes é um santo. Nunca levou um centavo com as Olimpíadas. Probo, apesar de amigo íntimo de Cabral e Lula. Além de ser muito querido em Maricá. --Ass: Papai Noel

  • Petronilo -

    Vai fundo no Paes

  • RENATO -

    humm ate parece que isso é em nome da constituição que é usada como papel higienico pelos senhores juizes do tribunal federal da palhaçada

Ler 11 comentários