PGR diz que recurso de Dirceu se baseou em "elementos frágeis"

No recurso ao STF contra a libertação de José Dirceu, Raquel Dodge também atacou o mérito da reclamação do ex-ministro acatado pela Segunda Turma.

A avaliação da PGR é de que a peça, de apenas oito páginas, “possui elementos frágeis, como a argumentação de que o crime de corrupção passiva estaria prescrito”.

“O ex-ministro foi condenado pela prática de corrupção em cinco contratos. Nesse caso, a consumação do delito se deu entre 2009 e 2013, quando ocorreu o recebimento das vantagens indevidas, e não no momento da assinatura dos contratos, como sustentou a defesa.”

Ela diz ainda que não houve erro na dosimetria da pena quanto aos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva porque os delitos antecedentes à lavagem foram formação de cartel e fraude à licitação.

 

Comentários

  • João -

    Drª Raquel este Ladrão não foi solto por " argumentos frágeis " mas sim pelo STF corrupto .

  • Sonia -

    Tem de cumprir a pena. É um acinte aos cidadãos honestos dos País e à Justiça (com J Maiúsculo)

  • STF -

    TURMA DE SEGUNDA E OS ESTAGIÁRIOS DO CRIME......ESCRITORIO DA DONA BEIÇOLA ENVOLVIDO..... PTOFFOLI LAVANDO DINHEIRO..... NAO é A TOA O DESESPERO DA ORCRIM DE TORGA..... TURMA DE SEGUNDA ......PAGOU SOLTOU..... TA TUDO DOMINADO .....CRIME ORGANIZADO INFILTRADO NO STF....

Ler 11 comentários