PGR é contra trabalho na Câmara de deputado presidiário

A PGR recorreu da decisão de Gilmar Mendes que liberou o deputado Nilton Capixaba a trabalhar na Câmara durante o dia.

“Há incompatibilidade entre os termos em que foi autorizado o trabalho externo ao recorrido e a resposta estatal que se espera dar às infrações penais gravíssimas e altamente reprováveis por ele cometidas”, escreveu Raquel Dodge.

Para a PGR, ao permitir que o deputado trabalhe na Casa em que cometeu crime, não será possível a ressocialização.

Comentários

  • Marçal -

    Vivemos em Banananândia. Esperar o que ?

  • Marcelo -

    Acho que essa discussão só prospera em países de quinto mundo. Então temos um congressista presidiário e acham natural que ele atue durante o dia e se recolha à noite? A caminhada é difícil...

  • UBIRATAN -

    Mais uma "cagada" do beiçola!!!

Ler 42 comentários