PGR: há "uma verdadeira organização criminosa" no governo de Wilson Lima

A segunda fase da Operação Sangria, que avança sobre o suposto esquema criminoso no Amazonas, foi autorizada pelo ministro do STJ Francisco Falcão, que, além das buscas e das prisões, determinou o sequestro de bens e valores dos investigados.

A subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo definiu:

“Há uma verdadeira organização criminosa que se instalou na estrutura do governo do estado do Amazonas, com o objetivo de desviar recursos públicos destinados a atender às necessidades da pandemia da Covid-19.”

A PGR também informou que o vice-governador, Carlos Almeida (PTB), tinha grande influência na gestão da Secretaria de Saúde.

“As provas apontam que a cúpula da Secretaria de Saúde se reportava frequentemente ao vice-governador para tratar de contratos da área de saúde, inclusive sobre pagamentos.”

Leia mais: Por que a escolha do novo ministro do STF agrada ao establishment e pode mudar -- para pior -- as coisas em Brasília
Mais notícias
TOPO