PGR pede mais 60 dias para inquérito sobre Renan

Como publicamos mais cedo, Raquel Dodge incluiu e-mails de Marcelo Odebrecht no inquérito que investiga o senador Renan Calheiros e o governador de Alagoas, Renan Filho, por corrupção e lavagem de dinheiro, informa a Folha.

A PGR também pediu mais 60 dias para a conclusão do inquérito, aberto no ano passado para apurar pagamentos indevidos a Renan para financiar a campanha do filho em 2014, em troca da aprovação de MP que interessava à Odebrecht.

Por essa MP, que tornou-se lei, a Braskem, empresa do grupo Odebrecht, renovou contratos de concessão de energia até 2037 –o que beneficiou plantas de fábricas instaladas em estados do Nordeste.

O inquérito é baseado na delação premiada de Cláudio Melo Filho, ex-diretor de relações institucionais da empreiteira.

Comentários

  • JOSÉ -

    Sem problema. Mas façam bem feito.

  • Sergio -

    E vai se passando o tempo. O que Renan sabe tanto do Supremo que é tão protegido?

  • Jackson -

    Cara, quando vão prender esse merda do REnan bandido?

Ler 41 comentários