PGR quer investigar se JBS comprou decisões judiciais

A PGR pediu ao STF para investigar se a JBS comprou decisões judiciais no STJ, por meio da advogada Renata Araújo – aquela filha de desembargadora que trocava mensagens suspeitas com Francisco de Assis Filho, diretor jurídico da empresa.

A informação é do Radar.

É um dia interminável para os irmãos Batista.

21 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. Claro que não! Essa possibilidade não existe. Também acredito que o Lula é o único e mais honesto político da história desse país; que o José Dirceu inventou aquilo tudo e o Zé é inocente; aquelas malas com milhões foi fruto de uma sorte no jogo do bicho; que a Dilma foi a presidente mais culta da história e, que o presidente Temer não tinha o costume de se encontrar nos porões com gente desqualificada. O Brasil não é sério. Terra das possibilidades, onde todas são possíveis.

  2. “Todos faziam, todos sabiam, mas o Estado pouco fazia para combater os atos ilícitos.”
    Nesse país, as notícias a “boca miúda” correm mais rápido que as investigações.

  3. A pergunta que grita é: quando é que vão abrir a caixa preta do judiciário, pois quem tem mais de dois neurônio sabe que se a classe política está podre, por que o judiciário ficaria incólume?

  4. Aos menos neste momento à PGR, Raquel Dodge, está assumindo uma postura de isenção ser isso vai ser mantido ou adiante só o tempo nos mostrará. Que se mantenha firme e forte defendendo o país em prol do povo é que, não trilhe pelo caminho da prestação de favores e submissão a poderosos, seja eles políticos, empresariais ou financeiros, pois, que se faça cumprir a CF: todos são iguais perante a lei. Pois mais que se esteja no mais alto posto ou grau da República, a lei o alcançará, pois, ninguém estará acima dela.

  5. Então meu informante estava certo! Será que a PGR irá mesmo investigar ou irá forjar uma investigação para não revelar, por exemplo, o mercado de TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) comercializados por Procuradores do MPF para dar lastro a ilícitos de toda sorte – como fraude no concurso da PRF/2014 -, sentenças e atos judicias fabricados para atender os interesses de uma das partes? Ou sera, como revelado pelo meu informante, que as decisões contra a família Batista é mesmo assedio, chantagem e LAWFARE para que os Batista não delatem a ORCRIM Togada?

    1. Hoje a tarde recebi 2 notificações totalmente inusitadas do CNJ, será por isso? Declaro publicamente: se realmente for uma investigação seria, posso colaborar com depoimento e compartilhar provas sobre o modus operandi de comercio da jurisdição efetivado por Procuradores através de TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) para dar lastro a fraude em concurso. Também posso depor e compartilhar provas sobre o modus operandi de comercio da jurisdição efetivado no STJ pelos ministros Cesar Asfor Rocha e Luís Felipe Salomão, modus operandi realizado no Tribunal na época da denunciada de compra da sentença da Operação Castelo de Areia! TENHO PROVAS OFICIAIS E CERTIDÕES EMITIDAS PELO STJ E TJMG QUE COMPROVAM O MODUS OPERANDI!

    2. Ainda está no STJ…
      Quem reclama do artigo 53 da CF, imagine pedir autorização para investigar o próprio STF!
      É o ó do borobodo’ da proteção jurídica.

    3. Mande essas provas para O Antagonista, Veja, Isto é, Época e outros veículos de comunicação. Disponibilize no Mega para quem quiser baixar…. dê ao público. Assim vc estará fazendo um grande serviço ao país.

  6. Só a JBS comprou decisões judiciais?
    Qualquer advogado sabe que comprar uma sentença de primeiro grau é virtualmente impossível, um acórdão em TJ, já é algo não tão anormal e que decisão em tribunal superior é como Casas Bahia: quer pagar quanto?

    1. Por isso caro colega que eles nao dao valor a 1º qd eles entram com alguma causa contra o povo e quem os peita, e já preparam logo a 2ª innt. Mas que isso seja normal nao é. e como MORO eles acordarame a cada dia chegam ou nascem mais Moros.

  7. É mais fácil saber quem a JBS Friboi não comprou! A empresa do açougueiro faturou somente em 2016 mais de R$ 170 Bilhões! Essa gente comprou foi toda a REPÚBLICA! Quem assume ter comprado 1.890 políticos, compra juiz, desembargador, promotor, procurador, fiscal de renda, do trabalho, analista do BC, COAF, CARF, etc…