PGR quer ministro do TSE sem foro em acusação de agressão

Raquel Dodge pediu ao STF que envie à primeira instância, em Brasília, sua denúncia por lesão corporal decorrente de violência doméstica contra Admar Gonzaga, ministro do TSE, informa Fausto Macedo.

Em novembro de 2017, Gonzaga foi acusado formalmente pela PGR de agredir sua ex-mulher, Élida Souza Matos –ele se defendeu dizendo que ela havia escorregado numa poça de Listerine.

Mesmo com a renúncia de Élida à acusação, o caso seguiu no STF, onde ministros do TSE têm prerrogativa de foro.

Dodge evocou o julgamento em que o plenário do Supremo restringiu a prerrogativa de foro para parlamentares a delitos cometidos no exercício do cargo e em razão das funções a ele relacionadas.

A PGR argumentou que a acusação não está relacionada às funções de Gonzaga no tribunal.

Este é um convite à indignação. Veja aqui!

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 7 comentários
    1. Vai ver que ela falou “debaixo dessa toga esconde-se uma minhoquinha semi-morta”. Aí ele achou que isso era ofensa à toga e vupt!