PGR recorre e pede reinclusão da delação de Palocci em processo contra Lula

A chefe da Lava Jato na PGR, Lindôra Araújo, recorreu da decisão da Segunda Turma do STF que retirou a delação de Antônio Palocci da ação em que Lula é acusado de receber imóvel de R$ 12 milhões da Odebrecht para sediar o Instituto Lula.

Na decisão, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes consideraram que a inclusão das declarações do ex-ministro contra o ex-presidente, dias antes da eleição de 2018, representou quebra de imparcialidade de Sergio Moro.

No recurso, Lindôra afirmou que a inclusão da delação não trouxe prejuízos para Lula, uma vez que Moro determinou que ela não fosse usada na sentença.

A subprocuradora, no entanto, defendeu a reinserção para que, em caso de condenação de Lula, Palocci garanta os benefícios previstos em seu acordo de colaboração.

“É providência indispensável para que, por ocasião da sentença, sejam aplicadas as sanções pactuadas com o colaborador, réu no referido processo”, afirmou.

Leia mais: Exclusivo: a estratégia secreta para proteger ministros do STF contra a Lava Jato
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 34 comentários
TOPO