PIMENTEL ACERTOU PROPINA COM MARCELO ODEBRECHT

Na denúncia apresentada hoje, a PGR diz que há provas de que Fernando Pimentel se reuniu com Marcelo Odebrecht antes da aprovação dos financiamentos do BNDES para a Odebrecht.

Feito o acerto, coube a Bené operacionalizar o pagamento de propinas com o diretor da Odebrecht João Carlos Mariz Nogueira. “Quero fazer um encontro entre o Chefe e o meu”, diz Nogueira numa mensagem a Bené em 30 de setembro.

Dez dias depois, Pimentel e MO se reuniram na casa de Nogueira, em Brasília, segundo registros do celular do empreiteiro e emails da Odebrecht. Na sequência, houve a liberação de R$ 1,5 bilhão para o projeto de soterramento da Linha Ferroviária de Sarmiento, em Buenos Aires, na Argentina.

“Deu certo, né!!! Nosso amigo acabou de me falar!!!”, escreveu Bené a Nogueira. “Você não pede, camarada! Vc manda! Falei que a nossa turma é comprometida!”.

O modus operandi se repetiu na liberação de R$ 180 milhões para a execução do corredor interurbano de transporte público da cidade de Maputo, em Moçambique.

Faça o primeiro comentário