Pimentel ataca política de Dilma: “Puro engodo”

Para tentar barrar no STF o leilão das usinas da Cemig, Fernando Pimentel resolveu atacar a política de Dilma Rousseff para o setor de energia.

Em recurso apresentado ao Supremo, a Advocacia-Geral de Minas acusa o governo Dilma de ter sido eleitoreiro ao mudar as regras do sistema elétrico brasileiro.

“Puro engodo”, critica o governo mineiro, segundo registro do Estadão.

Além de amigo de Dilma, diz o jornal, Pimentel foi um dos ministros mais próximos da ex-presidente.

18 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. Cemig é um cabidão de emprego que abriga centenas de companheiros e outros apaniguados. Essa gente terá que trabalhar, daí o pânico. A Eletrobrás ficará milhares de toneladas mais leve quando a companheirada for pela descarga.

  2. Pilantrel,
    Anta Sapiens e
    Lularápio são os verdadeiros golpistas e traidores da Pátria Brasil.
    Saqueadores, empulhadores, mentirosos e vendilhões do Brasil ao foro de SP e aos comunistas de cuba, venezuela, bolívia, ecuador e nicarágua.
    Merecem todos serem execrados e confinados em prisão de longas penas

  3. Os membros do PT e daqueles que seguem a mesma linha, a baixaria é um instrumento de ação diária. Para eles, combinados, importa salvar a pele e manter o líder supremo longe de acusações, pois assim, se o líder consegue se manter, eles como parasitas, se mantém agarrados nele.
    Então, como o combinado com a cúpula. “Todo petista pode roubar, desde que paguem o dízimo e se for pego, não conhece ninguém da cúpula”. Assim, meter o pau no companheiro, na hora que a fome aperta, é justificável. Faz teatro e o povão acredita (ou pelo menos acreditava).