Pixulequinho de Edinho

O inquérito que vai apurar as irregularidades na campanha de Dilma vai conter um capítulo sobre a Engevix, que doou R$ 1,5 milhão. O dinheiro entrou no dia 2 de outubro e no mesmo dia saiu para pagar fornecedores suspeitos — um deles é a Dialógica Comunicação.

A empresa pertence a Keffin Gracher, assessor especial de Edinho. A Dialógica foi criada em 2013 e fechada este ano, pouco antes da nomeação del. Na campanha do ano passado, ela embolsou R$ 1,5 milhão, dos quais R$ 420 mil foram pagos pelo próprio petista.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200