PL 4850: teste de integridade é abrandado

Em relação à medida 1, que trata da prevenção à corrupção e da transparência da gestão pública, o relator da PL4850, Onyx Lorenzoni, aceitou a proposta de realizar testes de integridade em funcionários públicos, mas abrandou sua aplicação.

No relatório do projeto que trata das medidas de combate à corrupção, Lorenzoni recusou o uso de testes de integridade como prova criminal, como proposto pelo Ministério Público, alegando que se trata praticamente de armar flagrantes contra os funcionários.

Em seu lugar, o parlamentar recomenda que todos os funcionários passem por um curso de esclarecimento e os testes sejam realizados com o objetivo de inibir desvios de conduta.