Placar estava em 5 a 2 contra Pimentel

Na sessão da Corte Especial do STJ, agora há pouco, Napoleão Nunes Maia Filho apresentou seu voto-vista e defendeu a necessidade prévia de autorização da Assembleia Legislativa de Minas Gerais para processar Fernando Pimentel.

Assim, Napoleão acompanhou a divergência aberta por Luis Felipe Salomão.

Laurita Vaz, Nancy Andrighi e Maria Thereza votaram com o relator, Herman Benjamin, que não acha que a Assembleia precise autorizar a abertura da ação penal. Og Fernandes já havia se manifestado no mesmo sentido.

O placar estava, portanto, em 5 a 2 contra Pimentel, quando o relator suspendeu o julgamento.

A Corte Especial é composta pelos 15 ministros mais antigos do STJ e julga as ações penais contra governadores e outras autoridades.