Planalto vê 'erro de comunicação' sobre decreto da UBS

Planalto vê erro de comunicação sobre decreto da UBS
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Jair Bolsonaro decidiu revogar o decreto que incluiu as Unidades Básicas de Saúde (UBS) no Programa de Parceria de Investimentos (PPI) após receber uma enxurrada de críticas.

O Antagonista apurou que, no Planalto, a culpa é atribuída aos ministérios da Economia e Saúde, que erraram ao não fazer uma “boa comunicação” para anunciar a medida.

Segundo auxiliares do presidente, o objetivo era criar parcerias público-privadas para a (PPP) conclusão de obras e gestão de UBSs. O decreto, porém, foi visto como uma brecha para o governo privatizar a atenção primária do SUS –o que deixou Bolsonaro irritado.

Um articulador político do Planalto comparou o caso à portaria sobre aborto.

Em agosto, a Saúde editou uma portaria que obrigava médicos a avisarem à polícia quando uma vítima de estupro solicitasse o procedimento de aborto. Em setembro, após a repercussão negativa, Bolsonaro mandou Eduardo Pazuello reeditar a portaria.

“É um recuo estratégico. O governo pode colocar o tema para ser rediscutido e dar uma outra abordagem. É um clássico erro de comunicação”, disse.

Leia mais: Vacina boa é a que funciona e ponto final.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 39 comentários
TOPO