Bolsonaro recicla plano de campanha para dizer que tem 'projeto de país'

Bolsonaro recicla plano de campanha para dizer que tem projeto de país
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Jair Bolsonaro publicou hoje, por decreto, uma tal “Estratégia de Desenvolvimento” para os próximos 12 anos.

O projeto repete diretrizes do plano de governo apresentando na campanha eleitoral e faz projeções econômicas considerando a aprovação de reformas que foram adiadas pelo próprio Palácio do Planalto.

Em um cenário de referência, o governo projeta crescimento econômico de 19,1% do PIB até 2031. Num cenário otimista, o avanço poderia ser de 37,2%, desde que aprovadas “reformas macrofiscais”.

Minimizando o cenário pandêmico, a Estratégia fala em “consolidar um ajuste fiscal de longo prazo que reduza a relação entre a dívida pública e o PIB e permita a manutenção da estabilidade econômica”.

No texto, o governo estabelece metas para aumentar a estimativa de vida dos brasileiros, de 76,3 anos para 78,7; e elevar o percentual de adolescentes com ensino fundamental, de 78,4% para 95,4%. Há apenas descrições genéricas sobre como atingir esses resultados.

No capítulo sobre direitos humanos, repete a bandeira eleitoral de “promover o direito à vida, desde a concepção até a morte natural, observando os direitos do nascituro, por meio de políticas de paternidade responsável, planejamento familiar e atenção às gestantes”.

Da mesma forma, fala em “fomentar a participação da família como corresponsável pelo dever da promoção da educação, respeitando os direitos dos pais ou responsáveis pelos alunos e assegurando a neutralidade política, ideológica e religiosa do Estado.”

É só nhé, nhé, nhé.

Leia mais: Por que NÃO aceitamos publicidade de governos e estatais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 75 comentários
TOPO